A rúcula é uma brássica de folhas muito apreciada na dieta Mediterrânica, em que as principais áreas de produção são o sul da Europa, o Médio Oriente e o Sudeste Asiático. A doença do míldio, causada pelo oomiceta Hyaloperonospora sp., representa uma ameaça à produção de rúcula. A legislação atualmente adotada na Europa restringe o uso e o registo de novos pesticidas, o que implica a necessidade de desenvolver estratégias em Modo de Produção Integrado (MPI), menos dependentes do controlo químico e mais amigas do ambiente.

A necessidade de aumentar a sustentabilidade da produção – maior e melhor produção de alimentos com diminuição de “inputs” e menor produção de resíduos – requer um investimento crescente no conhecimento científico, em tecnologia e inovação. O presente projeto reúne recursos humanos em diferentes áreas disciplinares que se complementam para estudar a interação rúcula–Hyaloperonospora sp., caracterizar uma coleção de diferentes variedades de rúcula, e melhorar as tecnologias de produção.

O projeto REMIRUCULA é assim uma oportunidade para minorar o problema da elevada suscetibilidade da rúcula ao míldio, que afeta a produção desta cultura a nível mundial. A transferência de conhecimento e a inovação tecnológica daqui resultantes irão reforçar a competitividade do setor produtivo da rúcula, reduzindo a dependência e os riscos associados ao uso dos pesticidas (redução da contaminação dos solos e da água), com impacto socioeconómico a nível nacional e internacional. Além dos benefícios para o setor produtivo, esta investigação apresenta vantagens ambientais evidentes e promove a segurança alimentar, com a produção de alimentos mais saudáveis, questões particularmente importantes num contexto de alterações climáticas e de aumento da procura mundial de alimentos.

Palavras-chave: Diplotaxis tenuifolia; interação rúcula-Hyaloperonospora sp.; marcadores moleculares; metabolómica; míldio.


Imprimir