ENQUADRAMENTO

Image
Image

Enquadramento

Nos anos sessenta do século passado foi iniciada uma seleção de árvores plus de pinheiro-bravo na Mata Nacional de Leiria (MNL) com vista ao aumento em volume e melhoria da forma da árvore. Estas árvores plus foram reproduzidas vegetativamente, por enxertia, para uma área da Mata Nacional do Escaroupim (MNE), estabelecendo-se, entre 1970 e 1978, o primeiro pomar clonal produtor de semente qualificada, constituído por cópias vegetativas (rametos) de 60 genótipos selecionados na MNL. Com base em estudos reprodutivos realizados neste pomar estabeleceu-se, em 1987, um ensaio de descendências de meios-irmãos a 46 desses genótipos, no qual se estimou o valor reprodutivo e o ganho genético para o volume e forma da árvore. Financiamentos nacionais e comunitários têm contribuído para o desenvolvimento do plano de melhoramento genético para o pinheiro-bravo em Portugal, permitindo o acompanhamento dos ensaios de descendências e o estabelecimento de novos ensaios, nomeadamente, de um ensaio de proveniências em seis locais, selecionados em função da área de distribuição da espécie e de parâmetros geográficos e climáticos. Os ganhos genéticos obtidos após a avaliação do ensaio de descendências de 1987 permitiram estabelecer, em 2000, um pomar clonal de geração e meia, com 9 ha, que é constituído pelos melhores progenitores originários da MNL. A semente proveniente deste pomar permite ganhos genéticos de 21% em volume e 17% na forma do fuste.

Na sequência do aparecimento da “Doença da Murchidão do Pinheiro” (DMP), em 2009 foram identificadas, em zonas amplamente afetadas pelo nemátode da madeira do pinheiro (NMP), cerca de 500 árvores plus que apresentavam algum grau fenotípico de resistência. Em 2014, foi realizado o primeiro ensaio de descendências, em condições controladas (estufa), com 96 dessas árvores selecionadas, no qual se detetou a existência de variabilidade genética para a suscetibilidade à DMP, mostrando que o melhoramento genético constitui uma ferramenta de apoio ao controle desta doença. Neste ensaio foram ainda identificados progenitores femininos que mostraram ser geneticamente mais resistentes, tornando essencial a sua conservação genética ex situ no sentido da progressão do plano de melhoramento para a resistência à DMP. De um modo geral, importa que, para além de prosseguir com o plano de melhoramento genético do pinheiro-bravo, o mais antigo do país, e com a conservação e proteção do material genético existente em todas as estruturas que foram sendo criadas, sob a responsabilidade do INIAV com a colaboração estreita do ICNF, sejam também geridas as unidades de aprovação/materiais de base que constam do Registo Nacional do Material de Base (RNMB) e que se encontram sob a responsabilidade do ICNF, bem como selecionar novas áreas para conservação genética in situ e para colheita de Materiais Florestais de Reprodução (MFR). Todo este conjunto constitui um património de recursos genéticos inestimável para o pinheiro-bravo em Portugal que deverá ser alvo de transferência do conhecimento a toda a comunidade nacional, europeia e internacional.

Financiamento:

FEADER (Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural) - 113 892,50€

INIAV (Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P.) - 147.014,77€

Ações: O projeto compreenderá no total dezasseis Ações: 12 Ações Orientadas (Ações 1 a 12); 1 Ação Concertada (Ação 13); 3 Ações de Acompanhamento (Ações 14 a 16). Das Ações Orientadas, cinco correspondem à Tipologia “1.1. Manutenção de populações específicas de conservação de recursos genéticos florestais”, três à Tipologia “1.2. Estabelecimento de novos campos experimentais resultantes de planos de melhoramento genético florestal” e quatro à Tipologia “1.3. Seleção e manutenção de populações de conservação genética in situ”.

Parceiros

Image
Image
Image
Image
Image

Entidade Financiadora

Image
Image
Image
Image